Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Semad e Lacre do Bem assinam termo que oficializa parceria de doação de cadeiras de rodas

PDFImprimirE-mail

 

Fotos: Semad/Divulgação

Lacre 1

Representantes da Semad e da Associação Lacre do Bem formalizaram parceria que já existia desde 2015

 

Representantes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) participaram, na manhã desta quarta-feira (14/10), da assinatura de termo de cooperação técnica entre a pasta ambiental e a Associação Lacre do Bem, Organização Não Governamental (ONG) de Belo Horizonte que recebe lacres de alumínio, encaminha para a indústria da reciclagem e com o dinheiro da venda dos lacres arrecadados, adquire cadeiras de rodas para doação a população que mais precisa. A secretária Marília Melo, o subsecretário de Gestão Ambiental e Saneamento, Rodrigo Franco, e o presidente da ONG, Fábio da Páscoa Praxedes, assinaram o termo de cooperação, que formaliza a parceria existente entre as instituições desde 2015.


Durante a assinatura, a Associação Lacre do Bem entregou à Semad cinco cadeiras de rodas, correspondentes à arrecadação de 531 quilos de lacres ou 709 garrafas PET de 2 litros cheias de lacre que foram coletados nos prédios da Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves (CAMG), entre meados de 2019 e de 2020. Três das cinco cadeiras já foram entregues pela equipe da Semad nesta quarta-feira, enquanto uma será entregue amanhã e a outra seguirá para Juiz de Fora. A assistente social Malu Eustáquia Diniz Barbosa, de 36 anos, comemorou a chegada da cadeira de rodas em sua casa, no Bairro João Pinheiro, em Belo Horizonte. Ela teve uma amputação de uma das pernas por conta do tratamento de um câncer e ao sofrer uma queda acabou fraturando a bacia.


“Sinceramente achei que não seria contemplada por causa do tanto de gente que procura. Quando recebi o telefonema avisando que uma das cadeiras viria para mim, fiquei feliz demais. Essa cadeira vai me ajudar muito, dentro de casa, na rua, para ir no supermercado, na padaria. Esse é um programa muito bacana, porque sai todo mundo ganhando. Quem mais precisa e também o meio ambiente”, diz ela.


Para a secretária Marília Melo, formalizar a parceria com a Associação Lacre do Bem é muito importante, porque ela gera um bem direto às pessoas. “Quando falamos de sustentabilidade, não podemos esquecer que se trata de um tripé ambiental, social e econômico. Esse projeto trabalha muito fortemente nos pilares do ambiental e social, dando dignidade a pessoas que não têm condição de adquirir uma cadeira de rodas, a partir de uma ação ambiental. Então, de fato, é um projeto muito importante”, diz a secretária, que pretende aumentar a capilaridade das entregas de lacres agregando órgãos do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) no interior do Estado.


O subsecretário Rodrigo Franco destaca que o objetivo do ano que vem é superar a meta das cinco cadeiras entregues neste ano. “A expectativa para 2021 é que a gente possa doar entre oito e 10 cadeiras arrecadando os lacres aqui na Cidade Administrativa. O mais importante é cumprir nosso papel de sustentabilidade, de impacto social, então estamos retomando a campanha Lacre do Bem com muita força e temos boas expectativas que o projeto possa crescer mais no ano que vem”, diz ele.


O presidente da ONG, Fábio Praxedes, acrescenta que espera aumentar os resultados do programa por meio da parceria com a Semad. “O projeto começou tímido, mas tomou uma proporção que a gente não imaginava e por isso já caiu no gosto popular. Ter uma parceria desse quilate e dessa dimensão nos mostra que está realmente valendo a pena”, diz ele.

 

Lacre 7

A assistente social Malu Barbosa foi uma das contempladas com uma cadeira de rodas doada pela Lacre do bem e entregue pela Semad

 

COMO FUNCIONA O LACRE DO BEM


O projeto surgiu há 7 anos, com uma ideia da filha da gestora social da ONG, Ivette Rodrigues de Macedo. Ela conta que, na época, a filha Júlia Macedo, de 16 anos, tinha apenas 9 anos, e que em uma visita a uma creche de Belo Horizonte viu várias cadeiras de rodas estragadas e por isso as crianças não podiam usar. Ela então teve a ideia de juntar os lacres de alumínio de latas para fazer a troca, o que motivou a mãe a iniciar o projeto. “Até hoje já doamos 581 cadeiras de rodas e reciclamos 57 toneladas de lacres de alumínio. A parceria com a Semad e com todos os servidores da Cidade Administrativa é de grande importância para o projeto, porque quanto mais juntos estivermos, mais vamos conseguir atender pedidos e doar mais cadeiras de rodas, promovendo assim a educação ambiental e a inclusão de pessoas com deficiência nos diversos setores da sociedade”, diz ela.


Hoje, as pessoas que precisam de uma cadeira de rodas realizam seu pedido no site da ONG (www.lacredobem.org.br), com a possibilidade de serem pessoas físicas ou jurídicas. Os interessados são visitados por uma equipe de voluntários, que avaliam a real necessidade de cada um para estabelecer critérios de maior urgência, como amputações e outros tipos de problemas. Depois disso, as pessoas são contempladas com as cadeiras de acordo com a quantidade de lacres que são arrecadados. Para que a ONG consiga doar uma cadeira de rodas é necessário arrecadar 140 garrafas PET de 2 litros, cheias de lacres, o que equivale a mais de 352 mil lacres ou 105 quilos do material. Esses lacres são enviados para a indústria da reciclagem, que compra o material, e as cadeiras de rodas são adquiridas com o dinheiro arrecadado. Atualmente, 140 pessoas estão na fila da ONG por uma cadeira.


A ONG já disponibiliza pontos de arrecadação em 14 estados do Brasil e em breve deverá estar em todo o território nacional. As parcerias, como a que existe com a Semad, são importantes justamente para ampliar a quantidade de material arrecadado e, consequentemente, o número de cadeiras doadas. A superintendente de Gestão Ambiental da Semad, Fernanda Wasner, destaca ainda o tamanho do ganho ambiental com essa iniciativa. “É muito gratificante saber que a gente pode converter lacres de alumínio que seriam destinados erroneamente para aterros sanitários, lixões ou descartados nas ruas, para oportunizar benefícios às pessoas que realmente precisam e que assim tenham mais qualidade de vida”, diz ela.


PONTOS DE COLETA


Para os servidores que quiserem juntar lacres de alumínio, existem pontos de coleta nas recepções de todas as secretarias de Estado na Cidade Administrativa. Segundo o diretor de Educação Ambiental e Relações Institucionais da Semad, Rafael Castilho, a intenção é abrir caminho para o fortalecimento da campanha Lacre do Bem dentro da CAMG agora que a parceria está formalizada junto à Semad. “Esse caso é um exemplo muito claro de que com boas parcerias e as pessoas mobilizadas, nós conseguimos fazer uma boa gestão ambiental para um contexto de sustentabilidade”, finaliza. Para quem quiser encaminhar lacres diretamente para doação à Associação Lacre do Bem, mais informações podem ser obtidas pelos telefones (31) 99608-8314 e (31) 98793-1813, além do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e do site https://www.lacredobem.org.br/pontos-de-coleta/.

 

Guilherme Paranaiba
Ascom/Sisema

 

SEMAD|

Rodovia João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde - CEP 31630-900
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades