Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Inscrições para o Prêmio Boas Práticas Ambientais se encerram no próximo sábado

PDFImprimirE-mail


boas-praticas-dentro

Interessados em participar da 4ª edição do Prêmio Boas Práticas Ambientais têm até o próximo sábado (24/10) para realizar sua inscrição. Em 2020, a premiação terá como tema “Tecnologias Sociais e Sustentáveis” e contemplará as categorias “Melhor Prática ou Projeto de Inovação Tecnológica voltado ao Meio Ambiente” e “Melhor Prática ou Projeto de Tecnologia Social com Impactos Positivos no Meio Ambiente”. A inscrição é gratuita e deve ser feita por meio de preenchimento de formulário disponível no site da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad).


O Prêmio Boas Práticas Ambientais é uma iniciativa do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) que visa reconhecer, incentivar e divulgar as boas práticas, ações e projetos de conservação, preservação e recuperação do meio ambiente e dos recursos hídricos no Estado. Pessoas físicas e jurídicas podem se inscrever, desde que os projetos inscritos sejam executados em Minas Gerais. Nesta edição, poderão ser premiados até três projetos em cada categoria.


De acordo com a superintendente de Gestão Ambiental da Semad, Fernanda Wasner, uma das responsáveis pela organização do Prêmio Boas Práticas, a escolha do tema em 2020 se deve à crescente integração de ferramentas tecnológicas nos processos desenvolvidos pelo Sisema. “Pretendemos, neste ano, reconhecer iniciativas que, assim com temos feito no Sisema, busquem por meio de inovações tecnológicas promover um meio ambiente ecologicamente equilibrado. Reconhecemos a tecnologia como um grande aliado da preservação ambiental e desenvolvimento sustentável e incentivar o uso de novas ferramentas é fomentar a busca por novas soluções para as questões ambientais”, disse a superintendente.


Clique aqui para fazer sua inscrição e acessar o regulamento do prêmio


TECNOLOGIAS SOCIAIS


A Lei Estadual 20.377/12, que trata sobre a Política Estadual de Fomento à Tecnologia Social, trata esse conceito como o conjunto de técnicas, metodologias transformadoras, desenvolvidas e/ou aplicadas na interação com a população e apropriadas por ela, que representam soluções para inclusão social e melhoria das condições de vida.


As tecnologias sociais são ferramentas desenvolvidas a partir do conhecimento popular e dos problemas vivenciados pelas comunidades, principalmente em áreas de vulnerabilidade social e ambiental, construídas de forma criativa e participativa considerando a mão de obra, recursos e oportunidades disponíveis na comunidade, garantindo a sua apropriação pelos envolvidos de forma a possibilitar a sua reaplicação a um baixo custo.


Características das Tecnologias Sociais:

  • Facilidade de reaplicação
  • Baixo custo
  • Participação ativa e apropriação pelos envolvidos
  • Recursos disponíveis na localidade
  • Pautada nos princípios da economia solidária
  • Busca o enfrentamento dos problemas locais

 
São exemplos de Tecnologias Sociais aplicada na área de meio ambiente:

  • Sistema de captação e armazenamento de águas pluviais, para utilização em algumas atividades do cotidiano, como limpeza de pisos, regas de jardins e descargas sanitárias
  • Produção Agroecológica Integrada e Sustentável que é uma nova alternativa de trabalho e renda para a agricultura familiar, baseada na produção de hortaliças, frutíferas e criação de pequenos animais com bases agroecológicas, sem uso de agrotóxicos.
  • Construção por meio da adoção de técnicas de bioconstrução, com o objetivo de reduzir custos e obter uma maior eficiência nos aspectos construtivos como sensação térmica, acústica, iluminação e ventilação
  • Lâmpada de garrafa PET que é uma solução bastante simples, não necessita de energia elétrica e pode ser utilizada para iluminação de ambientes internos durante o dia.
  • Banco comunitário de sementes para promover a sustentabilidade da agricultura familiar


O PRÊMIO


O Sisema criou o Prêmio de Boas Práticas Ambientais considerando a necessidade da promoção, do incentivo e do reconhecimento das boas práticas ambientais realizadas pelas pessoas físicas e jurídicas em Minas Gerais. A premiação é realizada anualmente, com uma temática específica em cada edição.


As práticas e projetos são avaliados por uma Comissão Julgadora composta por servidores dos órgãos ambientais do Estado de Minas Gerais (Semad), Instituto Estadual de Florestas (IEF), Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam).


O corpo de jurados também pode ser composto por convidados, tais como profissionais renomados e representantes de entidades que atuam na área da temática do prêmio. Os vencedores da premiação receberão um certificado ou placa de reconhecimento indicando a classificação obtida e o direito de uso da logomarca do IV Prêmio de Boas Práticas Ambientais para divulgação da prática ou projeto vencedor, conforme modelo a ser fornecido pelo Sisema.


Edwaldo Cabidelli
Ascom Sisema

SEMAD|

Rodovia João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde - CEP 31630-900
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades