Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Moradores levam reivindicações a reunião pública em Nova Lima

PDFImprimirE-mail

 

Foto: Emerson Gomes 

Reunião Publica dentro

Representantes do Sisema estiveram em Nova Lima ouvindo revindicações de moradores 

 

Moradores da cidade de Nova Lima participaram na noite dessa quinta-feira (28/11) de uma reunião pública para conhecer as medidas que vem sendo adotadas pela empresa Vale no processo de descaracterização das barragens B2 e B3. As estruturas estão localizadas próximas ao distrito de Macacos do município que fica na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).

 

“Na reunião a empresa detalhou as medidas emergenciais que vem sendo adotadas e as perspectivas de futuro para a região”, explica o assessor da presidência da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), David Holanda Vianna. Ele foi um dos que coordenou a mesa que ouviu e recebeu as demandas da comunidade no evento realizado na noite de ontem juntamente com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

 

A reunião atendeu a uma solicitação de três Associações de moradores de Nova Lima: Associação Gestora das Águas do Parque do Engenho (Agape), Associação do Meio Ambiente Morada do Engenho (AMA-ME) e Associação do Meio Ambiente (Amalto). Todo o conteúdo reunido na oportunidade poderá se tornar condicionante com cumprimento obrigatório pela Vale.

 

Marisa Lapertosa representou as três associações e afirmou que a experiência de Macacos pode se tornar um modelo de transparência para o mundo. “Nossas águas abundantes estão cada vez mais escassas e nosso turismo foi fortemente impactado”, observou.

 

Entre os pontos reivindicados pelos moradores estão a distribuição e o tratamento de água para uso humano, a criação de unidades de conservação e corredores ecológicos na região. As associações também solicitam a atualização do Estudo de Impacto Ambiental do Complexo Mar Azul, do qual as Barragens B2 e B3 fazem parte, além da participação da comunidade de Macacos no futuro plano de fechamento da mina.

Vale.


O gerente executivo do Complexo Paraopeba da Vale, Leonardo Paiva, descreveu as obras que vem sendo executadas para garantir a segurança das barragens B2 e B3. Demonstrou ainda as intervenções emergenciais que estão sendo feitas no distrito de Macacos para realizar a descaracterização das estruturas, que não são mais utilizadas desde 2012.

 

Também apresentou o projeto para requalificação da área urbana de Macacos. O trabalho pretende realizar uma série de intervenções no trânsito do Distrito de Nova Lima que permitirão um incremento no turismo. “Estão previstas reformas na Praça, escola e a entrega de um campo de futebol que será todo equipado”, explicou.


Os participantes da reunião pública terão um prazo de cinco dias úteis para enviar manifestações para a Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) Central Metropolitana, unidade da Semad responsável pelo processo. As contribuições podem ser feitas por meio eletrônico (pelo Sistema Eletrônico de Informações – www.sei.mg.gov.br), pelo correio ou pessoalmente, comparecendo à rua Espírito Santo, 495, Centro de Belo Horizonte.

 

Emerson Gomes

Ascom/Sisema

SEMAD|

Rodovia João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde - CEP 31630-900
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades