Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

NOTA DE ESCLARECIMENTO 16 – DESASTRE BARRAGEM B1

PDFImprimirE-mail

 

IEF ATUA NO RESGATE À FAUNA EM BRUMADINHO

 

Desde o rompimento da Barragem B1, da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, no dia 25 de janeiro, o Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) deu início a uma série de ações de avaliação e mitigação de danos ambientais. Uma das medidas é relacionada à fauna e vem sendo executada por meio do Instituto Estadual de Florestas (IEF). 

 

O Instituto enviou uma equipe de sua Diretoria de Proteção à Fauna (DFAU), composta por biólogos e veterinários, a Brumadinho, com o objetivo de acompanhar as ações da empresa Vale S.A no tocante à fauna. A mineradora é responsável pelas ações de resgate e cuidados aos animais, medida prevista em auto de fiscalização lavrado pelo Sisema.

 

Os profissionais estão atuando no salvamento da fauna silvestre, incluindo a ictiofauna (conjunto das espécies de peixes que existem numa determinada região) em articulação com as equipes técnicas designadas pelas demais casas que compõem o Sisema, ou seja, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam).

 

O trabalho conta ainda com o apoio de outras instituições, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Polícias Civil e Militar de Minas Gerais.

 

Segundo informações repassadas pela Vale S/A, o balanço das operações de salvamento de animais terrestres incluem:

 

· 15 animais silvestres terrestres resgatados vivos mantidos sob os cuidados da empresa;

· 86 animais domésticos terrestres resgatados vivos mantidos sob os cuidados da empresa;

· 35 animais domésticos resgatados e que não sobreviveram;

· 633 animais domésticos que receberam ou continuam recebendo alguma forma de atendimento pela empresa, como medicação ou alimentação, e permanecem sob a guarda dos próprios donos;

· 3 carcaças de animais silvestres e nove de animais domésticos. Outras duas foram encontradas sem identificação de sua espécie.

 

O atendimento e manutenção dos animais domésticos e silvestres resgatados estão sendo realizados pela Vale, no Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS), criado provisoriamente na Fazenda Quintas do Paraopeba, cujas obras de adequação estão em andamento - inclusive um hospital móvel.

 

Há atendimento para manter animais de pequeno porte no Hospital de Campanha em funcionamento na quadra do Ginásio da Comunidade da Mina Córrego do Feijão e em outras duas instalações de apoio, sendo uma próxima a essa quadra, e outra, na chamada “zona quente”.

 

Imagem 1 Ouriço Cacheiro

 Ouriço cacheiro

 

Imagem 2 Cobra Cascavél

cobra cascavel

 

Imagem 3 hotspots para busca e resgate de animais terrestres por parte da empresa

 hotspots para busca e resgate de animais terrestres por parte da empresa

SEMAD|

Rodovia João Paulo II, 4143, Bairro Serra Verde - CEP 31630-900
Todos os direitos reservados - Aspectos legais e responsabilidades